Se proteja de roubos de identidade


Em 2011 foram roubadas 1,1 milhões de identidades, em virtude da violação de dados informáticos pessoais, de acordo com o novo relatório da Symantec. A causa mais frequente da violação de dados é o roubo ou perda de um computador ou outro meio em que os dados estão armazenados ou são transmitidos, com o smartphone, a pen USB ou um dispositivo de backup, revela o relatório Internet Security Threat Report.

No total do ano, os ataques informáticos bloqueados pela Symantec deram um salto de 81%, sendo que os incidentes com hackers foram a maior ameaça, expondo 187 milhões de identidades em 2011. O Internet Security Threat Report indica que o número de variantes de “malware” único aumentou para 403 milhões e o número de ataques web bloqueados por dia cresceu 36%.

Hoje os hackers conseguem invadir o seu computador, enviar e-mail no seu nome e ainda receber de volta o e-mail de resposta pra onde eles enviaram. Nas redes sociais, o roubo de identidade pode acontecer quando alguém utiliza seu nome e credenciais para participar de fóruns, por exemplo. Um falsário não precisa roubar senhas de e-mails ou credenciais das redes sociais para conseguir se passar por outra pessoa. Basta apenas que ele “assine” as mensagens usando o nome “roubado”.

Tenha muitas senhas

Crie múltiplas senhas diferentes para diversos endereços de e-mail, contas bancárias, entre outros, e altere-as regularmente. Veja como criar uma senha segura aqui.

Monitore o saldo de sua conta bancária

Se você tem o hábito de acessar sua conta bancária através do seu computador, esteja sempre atento ao seu saldo. Para pessoas que tem pouco dinheiro movimentado é difícil que algo passe despercebido. Mas para pessoas que tem muita movimentação na conta, às vezes, um hacker pode sacar RS 1.000, RS 3.000, RS 5.000 reais sem que o dono perceba logo.

Possíveis soluções para redes sociais

Geralmente, os falsários realizam o cadastro em sites e fóruns nos quais você não tem interesse, usando um apelido que já vem sendo usado por você em outros locais, além de cadastrar o seu email e até linkar o seu perfil das redes sociais em vez do dele próprio. Portanto, não é preciso se preocupar com a invasão das suas contas neste primeiro momento.

Você pode entrar em contato com os próprios moderadores do site que o sujeito tem participado e explicar a situação. Você pode pedir para que eles desativem o usuário falso ou que, pelo menos, permitam que você tome controle da conta criada por ele usando o seu nome.

As redes realmente grandes, como Facebook, Google+ e Twitter, proíbem que seus usuários impersonifiquem outras pessoas. Sites desse porte podem até demorar para tomar alguma atitude, mas é quase certo que algo será feito. Apenas certifique-se de que você pode realmente provar que o falsário está usando a sua identidade no seu lugar.

Uma medida eficaz é comentar nos posts que ele fez e mostrar ao público que aquela pessoa não é você. Uma dica é fazer o cadastro usando um nome que deixa isso bem claro, como “FulanoVerdadeiro”. Escrever uma história sobre como, onde e quando o falsário está se passando por você pode dar ainda mais suporte na hora de provar a situação. Blogs pessoais ou simples posts no Facebook podem servir a este propósito.

Para saber como identificar os diferentes tipos de ataque, clique aqui.

 

Em 2011 foram roubadas 1,1 milhões de identidades, em virtude da violação de dados informáticos pessoais, de acordo com o novo relatório da Symantec. A causa mais frequente da violação de dados é o roubo ou perda de um computador ou outro meio em que os dados estão armazenados ou são transmitidos, com o smartphone, a pen USB ou um dispositivo de backup, revela o relatório Internet Security Threat Report.

No total do ano, os ataques informáticos bloqueados pela Symantec deram um salto de 81%, sendo que os incidentes com hackers foram a maior ameaça, expondo 187 milhões de identidades em 2011. O Internet Security Threat Report indica que o número de variantes de “malware” único aumentou para 403 milhões e o número de ataques web bloqueados por dia cresceu 36%.

Hoje os hackers conseguem invadir o seu computador, enviar e-mail no seu nome e ainda receber de volta o e-mail de resposta pra onde eles enviaram. Nas redes sociais, o roubo de identidade pode acontecer quando alguém utiliza seu nome e credenciais para participar de fóruns, por exemplo. Um falsário não precisa roubar senhas de e-mails ou credenciais das redes sociais para conseguir se passar por outra pessoa. Basta apenas que ele “assine” as mensagens usando o nome “roubado”.

Tenha muitas senhas

Crie múltiplas senhas diferentes para diversos endereços de e-mail, contas bancárias, entre outros, e altere-as regularmente. Veja como criar uma senha segura aqui.

Monitore o Saldo de Sua Conta Bancária

Se você tem o hábito de acessar sua conta bancária através do seu computador, esteja sempre atento ao seu saldo. Para pessoas que tem pouco dinheiro movimentado é difícil que algo passe despercebido. Mas para pessoas que tem muita movimentação na conta, às vezes, um hacker pode sacar RS 1.000, RS 3.000, RS 5.000 reais sem que o dono perceba logo.

Possíveis soluções para redes sociais

Geralmente, os falsários realizam o cadastro em sites e fóruns nos quais você não tem interesse, usando um apelido que já vem sendo usado por você em outros locais, além de cadastrar o seu email e até linkar o seu perfil das redes sociais em vez do dele próprio. Portanto, não é preciso se preocupar com a invasão das suas contas neste primeiro momento.

Você pode entrar em contato com os próprios moderadores do site que o sujeito tem participado e explicar a situação. Você pode pedir para que eles desativem o usuário falso ou que, pelo menos, permitam que você tome controle da conta criada por ele usando o seu nome.

As redes realmente grandes, como Facebook, Google+ e Twitter, proíbem que seus usuários impersonifiquem outras pessoas. Sites desse porte podem até demorar para tomar alguma atitude, mas é quase certo que algo será feito. Apenas certifique-se de que você pode realmente provar que o falsário está usando a sua identidade no seu lugar.

Outra solução que costuma trazer resultados mais imediatos é falar diretamente com a pessoa que está se passando por você. Caso você tenha tempo e paciência, cadastre-se no mesmo fórum em que o falsário está participando e mostre que você sabe dos atos dele.

Outra medida é comentar nos posts que ele fez e mostrar ao público que aquela pessoa não é você. Uma dica é fazer o cadastro usando um nome que deixa isso bem claro, como “FulanoVerdadeiro”.

Escrever uma história sobre como, onde e quando o falsário está se passando por você pode dar ainda mais suporte na hora de provar a situação. Blogs pessoais ou simples posts no Facebook podem servir a este propósito.

Comentários

comentário(s)

Categories

+ Leave a Comment