Redes sociais: pesquisa analisa perfil de usuário brasileiro


Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Mais uma pesquisa chegou para comprovar a importância da criação de conteúdo de qualidade nas mídias sociais. Segundo estudo realizado pela Gauge, consultoria especializada em inteligência digital, 87% dos usuários analisam o conteúdo oferecido antes de curtir uma página. Ou seja, não adianta ficar dependente de promoções e descontos.

Este é apenas um dos dados divulgados pela empresa sobre o perfil dos consumidores brasileiros no Facebook. A Gauge realizou estudos qualitativos e quantitativos durante um ano, com três metodologias diferentes, com uma base de 282 usuários da rede – que hoje já ultrapassam a marca de 50 milhões no país.

O comportamento dos brasileiros em relação às marcas presentes na rede variam de acordo com faixas etárias, mas 74% deles curtem páginas de produtos que consomem no dia a dia. Os mais jovens (entre 18 e 25 anos) não têm critério na hora de curtir uma página – 39% vão no impulso. Já 36% dos acima de 26 curtem páginas que têm alguma relação com sua profissão ou área de estudo.

O público mais velho é o mais fiel e tem relações mais duradouras com as marcas. Entretanto, o conteúdo e as ações de grandes marcas dentro do Facebook parecem muitas vezes ignorar esse público. Você confere o infográfico aqui.

Redes sociais ignoram público mais velho

Esse último grupo, apesar de mais fiel, muitas vezes é ignorado pelas campanhas realizadas no Facebook, de acordo com a pesquisa. Boa parte das marcas usa o humor para interagir com os usuários, o que atinge mais o público com menos de 25 anos. Apenas 17% dos usuários com mais de 36 anos costumam curtir páginas de humor e 34% dos maiores de 26 anos acompanham as páginas para se informar. Mais alguns dados interessantes sobre os brasileiros no Facebook:

– 54% dos usuários são mulheres, que, por sua vez, postam 40% a mais do que os homens. Mulheres dominam interações com as marcas e se sentem muito mais a vontade para se relacionar com elas. Compartilham mais e tem menos barreiras para interagir com os conteúdos expostos. Você pode conferir o infográfico sobre o assunto aqui;

Mulheres estão mais presentes nas redes sociais

– Para 54% do público pesquisado a imagem real da empresa é determinante para curtir uma página;

– 57% já postaram conteúdos sobre as marcas em seus próprios perfis;

– 66% acreditam que marcas são assuntos tanto na internet quanto no dia a dia com seus amigos;

– 66% buscam informação nas páginas que curtem;

– 54% afirmam procurar páginas de marcas com as quais se identificam para curtir no Facebook.

A Gauge chegou a conclusões bastante importantes para quem tem nas redes sociais uma das principais fontes de conversão. Por exemplo, a relação entre pessoas e as marcas no mundo real é critério determinante para a forma como se dará esta relação dentro do Facebook. Quem usa no mundo real vai curtir no Facebook, independentemente do tipo de conteúdo que a marca oferece. Ainda, as pessoas se identificam mais com marcas que utilizam situações reais de consumo, o que as tornam mais dispostas a se engajar.

Você pode conferir o infográfico sobre “A experiência real faz a diferença” aqui.

A relação entre pessoas e marcas no mundo real é determinante para a relação dentro das redes sociais

Afinal, o que querem os usuários do Facebook? Por que algumas marcas conseguem maiores números de engajamento do que outras? Estas perguntas assombram a mente de analistas de redes sociais, marqueteiros e publicitários que trabalham com marcas de diferentes seguimentos. A maioria das marcas se esquece de dois pontos cruciais nas redes sociais: relacionamento e conteúdo que se adeque ao seu público e ao perfil da sua marca.

Confira o infográfico sobre marcas aqui.

A maioria das marcas se esquece do relacionamento e conteúdo

Comentários

comentário(s)

+ There are no comments

Add yours