Principais tendências para alavancar seus resultados em 2019


Que o mercado publicitário está sujeito a mudanças constantes nós já sabemos. Sai ano, entra ano e novas ferramentas e práticas são anunciadas. E quando se trata de marketing digital, não é diferente. Todo final ou início de ano somos bombardeados por diversas listas de tendências para colocar em prática e alavancar os resultados.

É interessante, porém, saber filtrar os conteúdos que você lê por aí, colocando em prática somente aquilo que é de fato importante para o seu negócio. Pensando nisso, separamos as 8 principais tendências de marketing digital para 2019. Ficou curioso para saber mais? Continue conosco!

1. Transformação Digital

Provavelmente você já ouviu falar de transformação digital. Também sabe que esse conceito não é tão recente assim, certo? Apesar disso, a ideia por trás dessa palavra tão mencionada em 2018, permanece firme em 2019.

Utilizar a tecnologia para potencializar a performance de um negócio é o que melhor define a Transformação Digital. Mas não se trata só disso, já que o seu principal objetivo é garantir resultados palpáveis a partir de uma mudança estrutural.

A entrega de resultados é o primeiro fator a ser considerado quando falamos em adotar a Transformação Digital como parceira de negócio. Não dá para falar em resultados sem pensar em números, e é impossível analisá-los sem mensurar cada ação realizada.

Graças a esse recurso, medir o que foi feito torna-se uma tarefa mais simples, sendo fundamental para entender o que precisa de mudanças e o que está no caminho certo.

2. Marketing de influência

Quem imaginaria que um dia o protagonista de uma ação publicitária ou de marketing seria uma pessoa e não necessariamente um produto? Como você sabe, essa já é uma realidade em grandes empresas que desejam promover determinado produto ou serviço.

Conhecido como Marketing de Influência, a técnica consiste em colocar em ações focadas em indivíduos que, de certa forma, exercem certa influência de compra no público-alvo. Se por um lado a propaganda vem perdendo força como principal instrumento de comunicação, o marketing de influência ganhou espaço como uma potencial ferramenta a fim de motivar os compradores na aquisição de um produto.

Mas, para que se tenha sucesso nessa estratégia, é necessário escolher cuidadosamente a personalidade que fará parte da ação. Em primeiro lugar, ela precisa ser reconhecida pelo público-alvo. Para isso, é fundamental que você pesquise a fundo quem são as pessoas que geram maior engajamento em seu público, seja através de canais no Youtube, podcasts e demais mídias sociais frequentadas por sua persona.

Feito isso, você terá uma lista com alguns nomes com grande potencial para influenciar os consumidores. Por fim, basta entrar em contato com o seu potencial influenciador para propor uma parceria.

3. Business Intelligence

Com as mudanças no comportamento do consumidor, as agências de comunicação estão cada vez mais focadas em resultados. Isso significa que não há mais espaço para achismos, sendo fundamental contar com recursos que entreguem informações relevantes para as tomadas de decisão.

Um desses recursos é o Business Intelligence. Também conhecido como B.I, esse método tem como objetivo transformar dados brutos em informações importantes para a empresa. Falando especificamente das tomadas de decisão, tal sistema possibilita a coleta, análise e organização desses dados a fim de proporcionar aos gestores informações essenciais para a saúde do negócio.

Em agências de comunicação, ele auxilia na análise de informações e customizações de relatórios, ou seja, utilizar de forma prática os dados extraídos em um determinado período. Dessa forma, é possível transformá-los em relatórios, gráficos, mapas, e outros recursos fundamentais para orientá-lo na gestão da agência.

Tais dados podem estar relacionados a redes sociais, CRM, projeções de lucratividade, resultados de campanhas anteriores, etc.

4. Big Data

E já que estamos falando sobre análise e interpretação de dados, não poderíamos deixar de mencionar o Big Data. Esse método administra um grande volume de dados não estruturados, permitindo trabalhar com mais velocidade e tomar decisões mais assertivas com base em informações pertinentes.

Se considerarmos que a propaganda em veículos tradicionais vem perdendo espaço nos últimos anos, adotar o Big Data para a conquista de melhores resultados é uma excelente alternativa se o objetivo é se destacar dos concorrentes. Logo, reforçar o investimento em mídias como Google e Facebook, por exemplo, torna esse caminho menos árduo e mais próximo ao sucesso.

Uma das vantagens de adotar o Big Data na sua agência é que todos os colaboradores podem realizar análises de dados a partir dos resultados de seus respectivos trabalhos. Isso significa compreender o que funcionou ou não em cada campanha, trazendo novos insights para as próximas ações.

5. Gestão de marca

Como você viu anteriormente, o produto deixou de ser o centro das atenções quando se trata de gerar valor e claro, vendas. E não poderia ser de outra forma, já que maioria desses consumidores considera outros fatores ao adquirir um produto ou serviço. Para citar um exemplo, a imagem que um determinado empreendimento transmite é um importante fator de influência na decisão de compra, e é por isso que você precisa começar a investir na gestão de marca agora mesmo.

Nesse caso, uma boa estratégia de branding é o primeiro passo para tornar uma marca conhecida e, acima de tudo, relevante diante de seu público-alvo. Esse conceito nada mais é que um conjunto de ações que visam projetar uma impressão positiva por parte de uma empresa.

Claro que cada negócio possui necessidades distintas, portanto é comum que a estratégia adotada esteja em sintonia com seus objetivos, mas há um item em comum e que, independentemente do tipo de empreendimento, não deve ser desconsiderado: a autenticidade.

E não estamos falando de utilizar uma linguagem informal nos conteúdos produzidos por você, a ideia é incentivar a produção de conteúdos criados por usuários. Na prática, conteúdos criados por clientes de uma determinada marca têm maiores chances de gerar identificação e encurtar o tempo da persona na jornada de compra.

Afinal, quem não quer entender como um determinado produto ou serviço funciona com base na experiência dos próprios usuários? Isso garante confiabilidade e aumenta as chances de fisgar até aquele consumidor mais exigente.

6. Conteúdo personalizado

Se a autenticidade é um fator crucial para gerar engajamento e fortalecer a relação entre consumidor e marca, o conteúdo personalizado é o que garantirá uma experiência completa e personalizada ao usuário.

Mas como fazer isso com mais eficiência? Procure dar maior atenção ao mapeamento da jornada de compra do consumidor, só assim será possível entender as dores e necessidades específicas dos potenciais clientes.

Um exemplo é o e-mail marketing. Quando escrito de forma segmentada, levando em considerações traços do perfil da persona, as chances de aumentar a taxa de conversão é muito maior. Ele precisa ser criado para gerar uma identificação com quem está do outro lado, sem parecer algo automático e distante da realidade da persona.

Se antes o objetivo primário ao fazer o planejamento de conteúdo era atingir as primeiras posições no Google, hoje a preocupação em produzir materiais que se destacam diante de tantos outros é mais evidente. Claro que considerar as boas práticas a SEO é imprescindível, mas é preciso ter em mente que nenhuma estratégia de conteúdo terá bons resultados se não levar em consideração o nível de exigência de quem o consome.

7. Chatbots

Os chatbots começaram como uma forte tendência em 2018, e em 2019 não será diferente. A ferramenta foi criada para promover a interação com o usuário por meio de robôs. Mas engana-se quem pensa que a conversa é engessada, como em muitos casos. A ideia é que o bate-papo flua de maneira objetiva, mas com uma linguagem divertida e leve.

Graças às mudanças relacionadas à forma com que as pessoas se comunicam – considerando que a maioria delas está presente nos aplicativos de mensagens online os chatbots chegaram para tornar o diálogo entre os consumidores e empresas mais ágeis e dinâmicos.

Eles ajudam o consumidor a fazer compras online, na aquisição de ingressos de cinema, esclarecimento de dúvidas, entre outros. A boa notícia é que existem diversas opções no mercado, você só precisa definir a que mais se encaixa no seu orçamento com base em seus objetivos, ou seja, caso o foco seja uma interação mais complexa, não hesite em procurar uma ferramenta mais robusta.

8. Lives em redes sociais

Não é novidade que os conteúdos em vídeo já são parte das estratégias de empresas de diversos nichos há algum tempo. Por mais que os vídeos não sejam mais uma tendência, existe outro recurso fundamental para quem deseja aumentar a visibilidade em 2019: as lives.

Elas são definidas como transmissões de vídeo ao vivo em canais como Facebook, Youtube, Instagram Live e outras plataformas. Novamente, a persona é a responsável por definir se as lives serão, de fato, eficientes para atingir os seus objetivos. Assim, você entenderá como é a relação do público com a marca, e poderá criar conteúdos que solucionem uma dúvida ou dor latente.

A grande vantagem dessa modalidade é a infinidade de conteúdos que ela permite criar. Seja para mostrar os bastidores da rotina de trabalho, perguntas e respostas, anúncio e apresentação de novos produtos. Além disso, as lives são totalmente versáteis e podem (e devem!) ser integradas a outras tendências que já citamos aqui, como a utilização de influenciadores, por exemplo.

E aí, gostou de conhecer algumas das principais tendências para 2019? Que tal colocá-las em prática agora mesmo? E por falar nisso, confira nosso material com dicas essenciais para garantir a produtividade de toda a equipe para conquistar resultados incríveis.

Post escrito pela iClips.

Viviane Rodrigues

Assistente de Marketing em iClips

Últimos posts por Viviane Rodrigues (exibir todos)

Comentários

comentário(s)