Otimização de sites: lentidão pode causar problemas


Fonte: Ecommerce

Você já foi a um restaurante com muita fome e seu prato levou 40 minutos para ser servido? Você ficou satisfeito? Voltaria lá quando estivesse com fome novamente? É muito provável que na próxima oportunidade lembre-se dessa experiência ruim e retire esse local da sua lista de opções. Na web, a lógica é a mesma. A diferença é que o tempo de espera é contado em segundos.

Segundo um levantamento realizado pela Micro Focus – empresa especializada em soluções para teste, modernização e gerenciamento de aplicações –, utilizando a ferramenta de análise de performance Borland Silk Performer para avaliar o tráfego dos principais sites de varejo mundiais, inclusive no Brasil, existe uma relação direta entre o tempo de carregamento das páginas dos sites de e-commerce e o volume de vendas. Ou seja, quanto maior a lentidão dos portais, menor as chances de conversão das vendas. Além disso, a demora no tempo de resposta das transações online aumenta o índice de insatisfação dos usuários e gera um maior volume de abandono dos sites.

Seguem alguns dados levantados durante a análise realizada pela Borland Silk Performer:

– 1 segundo de demora no tempo de resposta dos websites equivale a:

  • Redução de 11% no índice de page views (visualização de páginas)
  • 16% na queda de satisfação dos clientes
  • Diminuição de 7% na taxa de conversão de vendas

– Os compradores online esperam que as páginas web carreguem em 2 segundos ou menos

– Após 3 segundos de carregamento de uma página online, mais de 40% dos usuários abandonam o site

– Quando acessam as páginas de dispositivos móveis, 74% dos usuários abandonam o site após só 5 segundos esperando pelo carregamento do mesmo

– Depois que os clientes deixam uma página, é muito difícil conquistá-los de volta. 88% dos clientes online estão menos abertos a retornar a um site depois de uma experiência ruim

O relatório da Micro Focus sugere que os sites precisam se antecipar aos picos de acesso, com o uso de ferramentas adequadas para testes de performance e de tempo de resposta . Nessa análise, deve-se levar em conta também cenários em que os clientes acessem o site por múltiplos dispositivos, protocolos e navegadores.

Muitos esforços têm sido empenhados para a navegação de qualidade primando pela experiência do usuário, fazendo parte deste conceito a velocidade de carregamento das páginas. Além de aumentar a satisfação do usuário e melhorar a qualidade geral da web, a velocidade também influencia no posicionamento em mecanismos de busca.

Confira algumas dicas para otimizar o seu site:

Cuide o tamanho e formato das imagens

Com relação ao formato das imagens devem ser considerados dois fatores, a resolução e o tamanho. Ainda assim, cada formato possui a sua característica:

  • GIF suporta animações, conhecidos como GIFs animados, e transparências, no entanto, possui o limite de 256 cores. Sendo assim, não é indicado para fotografias ou para imagens com muitos detalhes.
  • PNG assim como o GIF, esse formato é indicado para vetores como ícones, logotipos e imagens com poucos detalhes.  Além de suportar transparências, comprime mais a imagem que o GIF e possui maior limite de cores.
  • JPG é indicado para fotografias ou imagens com detalhes, pois suporta mais de 16 milhões de cores. Este formato diminui a qualidade da imagem, no entanto, ocorre de forma pouco aparente.

Além disso, é importante otimizar as imagens a serem utilizadas, diminuindo o tamanho e resolução destas. Uma opção para isso é o Fotosizer, no entanto, podem ser encontradas várias ferramentas que se adequem ao seu perfil.

A quantidade de imagens influencia diretamente no tempo de carregamento da página, pois cada imagem será uma requisição do HTTP ao servidor, desta forma é possível utilizar CSS Sprites, que reúne várias imagens em uma única. Mesmo com o aumento do tamanho desta, ocorre menor tempo para carregamento em função do menor número de requisições ao servidor. Podem também ser utilizados subdomínios para imagens e outros arquivos como .JS e CSS, em função do limite máximo de requisições por domínio, que possui o navegador.

Tenha cautela com widgets e plug-ins

Apesar da funcionalidade oferecida pelos plug-ins e widgets, é preciso selecionar quais destes serão realmente importantes para sua aplicação, usando-os o menos possível. Muitos plug-ins e widgets são desenvolvidos em flash ou Java, influenciando negativamente na velocidade de carregamento do seu site.

Otimize o código-fonte

Mantenha o código do seu site limpo e sem erros. Lembrando que é importante assegurar que a estrutura do seu site não possui queries lentas, links quebrados, erros de conexão com banco de dados, linhas em branco, entre outros.

Você também pode comprimir os arquivos CSS e JavaScript, eliminando comentários, espaços em branco e caracteres que não sejam necessários. Assim o arquivo fica menor, sendo carregado mais rapidamente. Para isso você pode utilizar ferramentas como YUI Compressorou Minify.

 Use cache

Vários serviços de cache são disponibilizados no mercado. Entre outros, a KingHost disponibiliza aos seus clientes o Varnish Cache, um acelerador de requisições HTTP, que fica entre o usuário e o servidor web. O serviço,  armazena um cache dos conteúdos mais acessados, efetuando a respectiva gerência das páginas. Com um melhor sistema de cache, seu site irá funcionar de forma mais leve, consumindo menos recursos, mesmo que com vários acessos simultâneos.

A velocidade de acesso ao site é de extrema relevância para o usuário e para o resultado nos buscadores. Sendo assim, dispor de algumas horas para a otimização do seu site é um investimento que pode render ótimos frutos.

Comentários

comentário(s)

1 comment

Add yours

+ Leave a Comment