O que é bug e como evitar isso?


O bug, que em tradução livre significa “inseto”, é uma falha que impede o funcionamento adequado de um hardware e software.

O hardware diz respeito aos componentes físicos de um dispositivo. como um mouse e um monitor, por exemplos, que são peças que compõem essa parte física de um computador.

Já o software é como se fosse a parte lógica, que faz tudo funcionar. Ou seja, os programas, aplicativos e sistemas que atuam para que a máquina ou computador funcione. Entendido?

Mas voltando ao nosso tema o que é bug: você pode dar de cara com isso quando se depara com um erro não previsto pelo desenvolvedor no hardware ou no software.

Inclusive, um dos bugs mais comuns, é o erro 500, que assombra muitas pessoas. Você já sabe o que é isso?

O que você vai conferir:

1. Quais são os principais tipos de bugs?
2. Bugs e a vulnerabilidade de um computador
3. Importância dos testes de correção para diminuir bugs
4. Como evitar bugs?
5. O que é feito quando acontece um bug?
6. Solução para evitar bugs

Quais são os principais tipos de bugs?

Em primeiro lugar, os bugs podem ser imperceptíveis e não causarem grandes problemas.

Mas também há aqueles que geram grandes falhas, podendo comprometer dados do site, servidor ou demais tipos de ferramentas digitais.

Em alguns casos, bugs com o armazenamento da nuvem acarretam no vazamento de dados. Por exemplo, uma falha no aplicativo Safari estaria divulgando dados da conta Google e informações do perfil dos usuários.

Por isso, é muito importante, e indicado, ter uma hospedagem na nuvem, que vai tornar seu site muito mais seguro.

De toda maneira, você deve saber quais são os tipos de bug para não se assustar quando se deparar com eles. Conheça-os a seguir.

1. Bug funcional

Está ligado a funcionalidade de um software, da parte lógica de uma máquina ou computador. Isto é, quando você faz uma ação e o site ou aplicativo não funciona como esperado.

Se considera um bug funcional quando você clica num botão e o aplicativo trava, por exemplo, obrigando a reiniciar o processo.

No entanto, é necessário considerar a experiência do usuário nesse processo.

Considere que você envia diversos emails para os clientes, mas um deles afirma não receber. Se o provedor do cliente redirecionar o seu email para a caixa de spam, não se trata de um bug funcional do seu serviço de email.

Você também pode gostar: 

Gestão de manutenção preventiva do site: você deve fazer?
Principais dúvidas sobre hospedagem na nuvem (cloud)

2. Bug de conteúdo

O bug de conteúdo tem relação com o conteúdo de aplicativos ou sites, como, por exemplo, problemas com texto, rótulos, links, dados, entre outros.

Assim, trata-se de um bug de conteúdo quando você clica em um link, mas o redirecionamento não acontece ou então o link está “quebrado”.

Vamos imaginar outro exemplo. Você está em um site sobre empreendedorismo e quer comprar um curso sobre planejamento financeiro. Ao buscar o produto, ele não aparece nos resultados. Isso é resultado de um bug de conteúdo.

3. Bug visual

O bug visual, por sua vez, consiste nos erros com interfaces gráficas (imagens) de sites ou aplicativos.

Por exemplo, se um texto está desalinhado ou se sobrepõe a uma imagem, além de problemas na própria estrutura do layout da página.

Aliás, bugs visuais ou de conteúdo podem evoluir para bugs funcionais. Porém, para que isso aconteça, é necessário que eles impeçam a funcionalidade real.

Ou seja, se uma pessoa consegue ter acesso à função apesar do bug, não se trata de um bug de conteúdo.

Bugs e a vulnerabilidade de um computador

Agora que você entendeu o que é um bug, está na hora revelar um outro problema que isso pode causar: vulnerabilidade do seu computador.

Antes de mais nada, saiba que nem sempre isso acontece, são em alguns casos, afinal, existem erros que não trazem inseguranças para o produto.

Certos tipos de bugs causam falhas de segurança e criminosos podem se aproveitar disso para extorquir pessoas físicas e empresas.

Em 2022, o Twitter confirmou que os dados de 5,4 milhões de contas foram vazados. Isso ocorreu devido a uma pane que causou uma vulnerabilidade na identificação dos titulares da conta.

Portanto, na hora de criar qualquer tipo de site, é muito importante considerar uma plataforma de hospedagem segura para que seus dados não sejam comprometidos.

O ideal é que você se mantenha sempre atento a dicas de segurança para aplicar no seu site ou outro tipo serviço online para evitar surpresas desagradáveis.

Importância dos testes de correção para diminuir bugs

Para evitar a incidência de bugs, uma prática bastante comum é a de lançar versões beta dos aplicativos ou softwares.

De modo geral, a versão beta consiste em um modelo de testes onde o usuário está ciente das possíveis falhas e pode alertar a empresa dos bugs encontrados.

Em alguns casos, empresas como Google e Netflix utilizam o sistema de bug bounty, que usa pessoas profissionais e usuários para “caçar” os bugs, fornecer provas e receber dinheiro em troca disso.

Sendo assim, os testes beta são essenciais para garantir uma versão estável do produto final.

Como evitar bugs?

Agora que você entendeu o que é bug, é importante compreender o que deve fazer para evitá-los.

Como já falamos no artigo, uma forma de evitar isso é o lançamento de versões beta ou até mesmo o sistema de bug bounty.

No entanto, esse recurso se aplica mais às empresas de grande porte. É possível utilizar ferramentas automatizadas para achar bugs, chamas de debuggers.

O objetivo delas é executar o código do programa numa máquina virtual, que busca e encontra as falhas.

No entanto, a forma mais simples de evitar um bug no seu computador é manter os sistemas e programas atualizados.

Se o seu foco for criar um site para seu negócio, por exemplo, é necessário contar com uma empresa de hospedagem que garanta a segurança dos dados.

Esse é a melhor forma de evitar aborrecimentos ou até mesmo problemas mais graves.

O que é feito quando acontece um bug?

Ao se deparar com esse tipo de falha, existe um método para corrigi-la, o debugging, que identifica e remove os erros existentes no código do aplicativo, site ou programa.

Se trata de uma ferramenta utilizada por desenvolvedores para solucionar falhas críticas ou que impedem o funcionamento adequado.

Portanto, esse método envolve conhecimentos avançados em Javascript e C++, por exemplo Ou seja, saberes específicos de profissionais da área de programação.

Contudo, a hospedagem de site pode contribuir na prevenção de bugs e não precisa de extenso conhecimento sobre tecnologia para isso. Quer saber? Continue lendo!

Aprendeu o que é bug? Conheça as soluções da KingHost

Agora que aprendeu o que é bug e, mais importante, como evitá-lo, você precisa conhecer as soluções da KingHost.

Com a gente você tem acesso a hospedagem de sites em servidores 100% brasileiros. Isso significa que você conta com:

  • Suporte em português sempre que precisar;
  • Ferramentas de segurança;
  • Mais velocidade no seu site;
  • Ferramenta para construir site, caso você ainda não tenha;
  • Serviço de email AntiSpam.

Em todos os nossos planos de hospedagem incluem o Certificado de segurança SSL gratuito, que lê os seus dados e torna o seu site ainda mais confiável. 

Essas são apenas algumas das nossas vantagens. Clique no banner abaixo e veja todas soluções para evitar bugs nas suas páginas.

Banner com fundo roxo, sobre hospedagem de sites, com homem negro sentado e olhando para o computador

Gostou deste conteúdo exclusivo? Continue aqui no Blog da KingHost para ler outros artigos como este!

Gabriela da Silva

Comentários

comentário(s)